quarta-feira, 17 de novembro de 2021

Melhor cacau do Brasil será revelado em transmissão ao vivo

No próximo dia 22 de novembro serão conhecidos os vencedores do Concurso Nacional de Qualidade do Cacau Especial do Brasil. A premiação acontece em Ilhéus-Ba, a partir das 18h, no Cana Brava Resort em evento fechado para convidados. Este ano, no entanto, a premiação assume caráter híbrido e também será transmitida ao vivo pelo link www.omelhorcacaudobrasil.com.br/aovivo. Serão premiados os produtores de cacau que receberem as melhores notas nas etapas classificatórias e nos critérios de sustentabilidade. Os ganhadores receberão certificado e prêmios de até R$ 12 mil. Ao todo foram 94 amostras inscritas nas categorias Mistura (blend) e Varietal do III Concurso Nacional de Qualidade do Cacau Especial do Brasil. Dessas, 22 seguiram para a segunda etapa da disputa pelo título de melhor cacau do país. Além de uma minuciosa avaliação dos aspectos físico-químicos das amêndoas, os finalistas passaram também por análises sensoriais, como a prova do cacau em forma de líquor e ainda uma avaliação às cegas do sabor do cacau na forma de chocolate 70%. Os chocolates foram numerados e enviados para um júri de convidados especiais. Entre eles o empresário e chocolatier Ale Costa, da Cacau Show, o chef confeiteiro Lucas Corazza, jurado do programa Que Seja Doce da GNT, a chef chocolatière da Dengo Chocolates Luciana Lobo e ainda chocolate makers como Diego Badaró, da AMMA Chocolates e Cesar de Mendes, da De Mendes Chocolates, entre outros. O Concurso Nacional de Qualidade do Cacau Especial do Brasil, que seleciona as melhores amêndoas produzidas no país, visa fortalecer a cacauicultura brasileira, valorizando e reconhecendo produtores que fazem um trabalho diferenciado, bem como incentivar a sustentabilidade em todo o processo produtivo. “A busca pela excelência é o fator principal para quem quer se destacar no mercado. Precisamos fazer o Brasil ser mundialmente reconhecido como produtor de cacau de alto padrão”, pontua Cristiano Villela, diretor científico do Centro de Inovação do Cacau (CIC), entidade organizadora do evento, juntamente com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac). Além das avaliações físicas e sensoriais das amêndoas, as propriedades produtoras do cacau precisaram também cumprir uma série de critérios de sustentabilidade. “Este ano contamos com o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) nos estados para auxiliar os produtores nas adequações aos critérios exigidos pelo concurso”, destaca Villela. Entre os finalistas, o Pará lidera a disputa com 11 amostras no páreo, seguido pela Bahia, que tem 8 lotes aprovados na primeira etapa. Espírito Santo e Rondônia têm 2 e 1 representantes, respectivamente, na categoria de variedade única. A premiação é uma iniciativa conjunta da cadeia produtiva do cacau, patrocinada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do Governo do Pará (Sedap), Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura do Governo da Bahia (Seagri), pela Associação das Indústrias Processadoras de Cacau (AIPC), Centro de Inovação do Cacau (CIC), Dengo Chocolates, FAEB/SENAR, Harald, Mondelez – Cocoa Life, Nestlé – Cocoa Plan, Gencau e SEBRAE. A realização é do CIC em parceria com a Ceplac. Mais informações no site www. omelhorcacaudobrasil.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog