segunda-feira, 1 de novembro de 2021

Encontro reúne veteranos da Polícia Militar do sul e do extremo-sul da Bahia

Policiais militares da reserva das regiões sul e extremo-sul da Bahia se reuniram em Una, na região sul do estado, neste domingo (31). Foi o quinto encontro realizado pelo grupo que pretende criar uma associação. O objetivo, segundo eles, é acompanhar a situação dos policiais da reserva e aposentados, além de apoiá-los. Participaram representantes de vários municípios, a exemplo de Itabuna, Ilhéus, Canavieiras, Una e Camacan. Presentes ao encontro figuras como senhor José Oliveira Pluma de 92 anos. Ele é o mais antigo Policial Militar da Bahia, com 65 anos. Pluma entrou na Polícia Militar em 1956 e foi para a reserva em 1980. Convidados para o encontro o empresário Raimundo Júnior, conhecido como Raimundinho da JR, e o médico Isaac Nery, ex-PM que deixou a carreira há 19 anos, mas mantém relação com os colegas da Policia Militar. Os dois pretendem ser os representantes da categoria na Assembléia Legislativa e na Câmara Federal. Raimundinho Júnior é pré-candidato a deputado estadual e Isaac Nery a deputado Federal. “Vamos lutar para chegar à Assembleia e trabalhar para repor as perdas da categoria “, garantiu Raimundinho Júnior. Isaac Nery disse que era uma satisfação poder reencontrar antigos colegas de profissão. “É uma satisfação ter sido convidado para o encontro e rever velhos amigos de batalha”, disse o médico, que foi candidato à Prefeitura de Itabuna em 2020.
Seu Pluma: muitas histórias para contar
Uma das figuras mais reverenciadas no evento foi Seu Pluma. Ele assina José Oliveira Pluma, tem 92 anos, 65 deles na polícia militar. Dessas figuras afáveis, as estimadas 200 pessoas presentes ao evento procuravam o antigo militar para cumprimentar. Pluma se diz um homem abençoado por Deus. Evangélico, é casado há 58 anos, tem cinco filhos, e um deles seguiu a carreira do pai. Já foi servidor público federal, onde foi o quarto colocado no concurso concorrendo com outras duas mil pessoas. Saiu e seguiu a carreira militar. Ele conta que sozinho já fez prisões na mata de Olivença e amarrou o preso com tiras de piaçava, conduzindo-o até a delegacia. E tem mais causos. Em Almadina, onde trabalhou também sozinho prendeu um homem depois do detido agredir 17 pessoas. “Acredito que Deus me protegeu nesses momentos, pois o preso não reagia”. Seu Pluma se gaba da sua saúde. “Meu médico cardiologista me disse que eu tenho saúde de menino”, conta. Na sua longa trajetória, foi delegado de polícia de São João do Panelinha, distrito de Camacan, onde mora até hoje. Conta que a população diz que ele foi o que melhor passou pela delegacia de polícia. Causos do seu legado de vida não faltam para Seu Pluma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog