quarta-feira, 6 de outubro de 2021

OMS destaca artigo de professoras da Uesc

O artigo intitulado “Formação continuada de professores/as da Educação Infantil num contexto pandêmico: reflexões freirianas" (Continuous training of early childhood teachers in a pandemic context: freirian reflections) de autoria das professoras Lilian Moreira Cruz, Cláudia Celeste Lima Costa Menezes e Lívia Andrade Coelho, todas do Departamento de Ciências da Educação (DCIE) da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), foi publicado na Revista Práxis Educacional em agosto de 2021. O artigo tem como objetivo analisar, à luz das concepções freirianas, as implicações do contexto pandêmico para um grupo de pós-graduandos/as da Especialização em Educação Infantil de uma universidade pública baiana. “É extremamente gratificante para nós, professores, termos nossa produção inserida na lista de recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) como literatura global sobre Formação Continuada de Professores e Covid-19. Esta conquista traz visibilidade para a instituição a qual somos docentes, a Uesc, reconhecimento do nosso trabalho e motivação para continuarmos trilhando o caminho da pesquisa". As professoras e pesquisadoras da Uesc evidenciam que “com a pandemia de Covid-19, a formação de professores tem suscitado ampla discussão no meio acadêmico, à medida que a aprendizagem dos alunos assume novos contornos diante da alternativa de ensino a distância, o que pode ter um impacto substancial nas dimensões pessoal e profissional da disciplina em formação. Diante desse contexto, este artigo tem como objetivo analisar, à luz das concepções freirianas, as implicações do contexto pandêmico para um grupo de pós-graduandos da Especialização em Educação Infantil, de uma universidade pública baiana”. Para tanto, as pesquisadoras adotaram uma abordagem qualitativa, com 26 participantes. Os dados revelam que embora os pós-graduandos tenham apontado alguns aspectos negativos da pandemia, como aumento dos gastos com recursos tecnológicos e internet, sentimento de impotência, insegurança, medo e cansaço, por outro lado, enxergam oportunidades para se desenvolver criatividade, superar desafios, estudar perto da família, aprender e desenvolver novas competências. As professoras concluíram que o atual cenário pandêmico no Brasil exige políticas públicas educacionais imediatas de apoio a professores e alunos, além de oferecer formação inicial ou continuada de professores que atendam às necessidades de aprendizagem da profissão docente em situações de incertezas e mudanças sociais, políticas, econômicas, emocional, entre outros. O reitor da Uesc, Prof./Dr. Alessandro Fernandes, parabenizou as professoras/pesquisadoras destacando a alegria e a esperança no fortalecimento da ciência a partir do esforço individual e coletivo dos docentes da Universidade. “É muito orgulho termos a produção das nossas professoras/pesquisadoras, inserida na lista de recomendações da Organização Mundial de Saúde. Essa é mais uma demonstração inequívoca da importância da universidade pública e de qualidade, como é a nossa Uesc, que apresenta um quadro de pesquisadoras e pesquisadores, docentes do mais alto nível, desenvolvendo ações extremamente importantes para o desenvolvimento da Bahia, do Brasil e do mundo. Mesmo em um cenário de dificuldades, a Uesc demonstra, cada vez mais, sua capacidade e competência no desenvolvimento de suas atividades do ensino, da pesquisa e da extensão e também contribuindo para desenvolvimento regional”, ressaltou o reitor, Alessandro Fernandes de Santana. https://pesquisa.bvsalud.org/global-literature-on-novel-coronavirus-2019-ncov/resource/pt/covidwho-1395621

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog