quarta-feira, 6 de outubro de 2021

Advogado é indiciado por chefiar esquema interestadual de falsos correspondentes bancários e lotéricas

Em continuidade ao trabalho de investigação sobre o esquema de falsas lotéricas e correspondentes bancários no Ceará, Pará e Paraíba, as Polícias Civis do Ceará (PC-CE) e do Pará (PCPA) cumpriram mandados de busca e apreensão, na cidade de Beberibe, Área Integrada de Segurança 18 (AIS 18) do Ceará, contra um advogado de 33 anos, que foi indiciado por chefiar a organização criminosa. O inquérito que investigava a conduta criminosa do homem foi concluído nesta terça-feira (05) e remetido ao Poder Judiciário, onde segue para apreciação. O cumprimento da determinação judicial, ocorrido na última sexta-feira (1), foi acompanhado de dois advogados da Comissão de Defesa das Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE). De acordo com a Delegacia Municipal de Beberibe, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em um imóvel no Morro Branco e em um escritório no Centro de Beberibe. Na ocasião, foram apreendidos documentos que serão utilizados na investigação policial. Conforme a Delegada Ana Scotti, titular da Delegacia de Beberibe, o advogado foi indiciado por organização criminosa, estelionato e apropriação indébita. A aproximação com o grupo começou no fim do ano passado. “Ele é investigado como um dos chefes do grupo criminoso. Temos elementos que nos indicam isso. Além da assessoria jurídica para os demais integrantes do grupo, ele analisava os contratos de abertura das agências e correspondentes bancários e falsificava documentos. O advogado é suspeito de utilizar documentos de outras empresas, já abertas, para abrir falsos correspondentes bancários. Um dos requisitos para a participação dele, era que os demais, caso fossem capturados, não o denunciassem. Se ele fosse denunciado, os outros ficariam sem advogado. Isso é surreal”, explicou Ana Scotti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog