terça-feira, 20 de julho de 2021

JURISTAS, ADVOGADOS E POLICIAIS REJEITAM INDICAÇÃO DE MENDONÇA EM CARTA AO SENADO

Cresce a rejeição do ministro André Mendonça, da Advocacia Geral da União (AGU), que foi indicado pelo presidente Bolsonaro para uma cadeira no STF no lugar do decano Marco Aurélio que deve se aposentar nos próximos dias. Desta vez, centenas de juristas e advogados manifestaram-se em carta ao senado rejeitando a indicação, caso seja acatado pela maioria dos senadores, seria uma das maiores derrotas do presidente que também tem sido rejeitado pelos próprios leitores. A carta foi entregue neste dia 19 cujo título sugere "Por um STF laico e independente" em alusão ao candidato ao STF considerado "terrivelmente evangélico" pelo presidente. Assinam a carta o Coletivo Transforma MP, a ABJD, AJD, APD, ADJC, o Coletivo Defensoras e Defensores Públicos pela Democracia, o Instituto de Pesquisa e Estudos Avançados da Magistratura e do Ministério Público do Trabalho (IPEATRA) e o Movimento Policiais Antifascismo. Para o grupo, Mendonça representa retrocesso aos pilares de justiça brasileira já que a relação umbilical com o presidente é notório e o advogado compartilha a mesma ideologia do presidente que tem promovido o desmonte social e negligenciado a saúde mesmo chegando aos 600 mil mortos no país. A indicação do advogado e ministro Mendonça passará por uma sabatina no senado devendo sofrer pressão principalmente pela acusação de que André Mendonça usou a famigerada  Lei de Segurança Nacional, criada na ditadura, para perseguir críticos do governo, ferindo a liberdade de expressão que é um princípio democrático que consta na Carta Magna. Marcos Mauricio - Foto: Alan Santos/PR

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog