sábado, 15 de maio de 2021

CORRIGINDO KANT

O retrato mais comum, mais representativo do filósofo prussiano Immanuel Kant (1724-1804) é este da miniatura. Como desenhista e entendido um pouquinho de anatomia, percebe-se enorme cabeça que comportaria um cérebro como dobro do tamanho normal de qualquer pessoa. O pintor, para sustentar o peso da cabeça, tratou de fazer um pescoço mais largo que um torax. Sabe-se que o filósofo era uma figura franzina, frágil e de pequena estatura. Usando como base o retrato "hidrocefálico" procurei ajustar as proporções, mas garanto que este desenho não merece um lugar no museu. Kant nasceu e morreu na cidade de Königsberg sem jamais sair da cidade. Tornou-se o principal filósofo da era moderna. A epistemologia kantiana tratou a síntese entre o racionalismo continental (de René Descartes, Baruch Espinoza e Gottfried Wilhelm Leibniz, onde impera a forma de raciocínio dedutivo), e a tradição empírica inglesa (de David Hume, John Locke, ou George Berkeley). Sua fama sobretudo se deu pela elaboração do "idealismo transcendental: formas e conceitos a priori e a posteriori" dentre outras teses. Marcos Mauricio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog