segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Ex-motorista é suspeito de arquitetar plano para roubar casa de prefeito de Crateús



Em quase quatro meses de investigação após o roubo à residência do prefeito da cidade de Crateús, no dia 15 de outubro de 2020, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) apresenta detalhes da trama investigada pela Delegacia Regional de Crateús, que tem como principal suspeito de encabeçar o plano criminoso, o ex-motorista do político, identificado como Jonny Ferreira Rodrigues (30), preso na última sexta-feira (5). Atualmente, o homem trabalhava como motorista da Secretaria Municipal de Saúde e teria, inclusive, se aproveitado de uma viagem para Fortaleza, a serviço do órgão de saúde, para acertar detalhes com os suspeitos do crime. As informações do esquema criminoso descoberto foram apresentadas em coletiva de imprensa, na manhã desta segunda-feira (8), na sede da Superintendência da Polícia Civil, no Centro de Fortaleza. Jonny, mais conhecido como “Gordinho”, trabalhou no gabinete do prefeito e, em 2016, se candidatou a vereador do município de Crateús, com apoio da vítima. Foi a partir dessa convivência diária que Jonny teve conhecimento da rotina da vítima, como apontam os levantamentos policiais. Os investigadores acreditam que ele tenha se aproveitado da confiança e da abertura que tinha com o prefeito para preparar o crime, que era roubar uma quantia vultosa de dinheiro que estaria guardada no cofre do político dentro de um quarto da residência. De acordo com as investigações, ele teria se juntado a José Teixeira da Paz Neto (28), que se encontra foragido, para selecionar os comparsas e preparar a logística do crime. Dias antes do crime, “Gordinho” e “Neto” saíram de Crateús com destino a Fortaleza, com o carro oficial da Secretaria da Saúde, com diárias pagas pela Prefeitura, com o objetivo de conversar com o namorado da irmã de “Neto”, identificado como João Victor Lima Rodrigues (22). Da conversa inicial, eles fizeram contato com uma quarta pessoa, identificada como Diego Batista Leles (32), o “Blindador”, que trabalhava em Fortaleza com blindagem de veículos. Um quinto homem, identificado como Cláudio Moreira Julião Filho (33), teria fornecido um dos veículos utilizados no crime. No dia 15 de outubro, Diego, João Victor e uma sexta pessoa se dirigiam à residência do político, na zona rural de Crateús, em um veículo, anunciaram o assalto e reviraram o quarto da vítima em busca de dinheiro. Como não encontraram o tal cofre que “Gordinho” havia dito, os homens pegaram uma maleta de trabalho do prefeito. Ao saírem do imóvel, eles trancaram os funcionários da casa e fugiram. Na sede do distrito, o prefeito cumpria agenda da candidatura à reeleição, enquanto “Gordinho”, minutos antes do grupo entrar na casa, dava sinal verde para o grupo executar o plano de roubar a residência. José Teixeira da Paz Neto (28), suspeito de ser o outro mentor do crime, estava aguardando, em uma estrada carroçável, o grupo sair da casa para fazer a troca do cofre para o carro de apoio que ele guiava. Horas depois do crime, Diego, com uma passagem por roubo, suspeito de ter participado da invasão à casa do prefeito, foi capturado por policiais militares do Destacamento da cidade de Independência, na rodovia BR 226. O homem estava com um carro com características semelhantes ao veículo utilizado no crime. O veículo apresentou problemas mecânicos e forçou o condutor a parar na via. Durante a abordagem, Diego entrou várias vezes em contradição e foi conduzido para a Delegacia Regional de Crateús. Em depoimento, ele contou que havia sido contratado para fazer um serviço de troca de blindagem em um automóvel. Durante as buscas na cidade, os policiais encontraram a maleta, que estava danificada, bem como as roupas usadas pelos suspeitos, que foram deixadas para trás. No curso das investigações, os policiais civis levantaram os nomes de suspeitos, veículos utilizados por eles e informações sobre a dinâmica do crime. João Victor Lima Rodrigues (22), sem antecedentes, foi o segundo suspeito capturado. De acordo com as investigações, ele e Diego participaram do assalto a mando do ex-motorista. João Victor, que residia em Fortaleza, foi capturado no dia 16 de dezembro do ano passado, após se refugiar em um imóvel na zona rural de Cascavel, cidade localizada na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O mandado de prisão preventiva foi cumprido e ele foi conduzido para Crateús para prestar depoimento. Na última sexta-feira (5), o homem apontado como mentor da ação criminosa, o ex-motorista do prefeito, foi preso em casa, em Crateús. “Gordinho” teve o mandado de prisão preventiva cumprido por equipes da Delegacia Regional de Crateús. Nesse sábado (07), dia seguinte, foi a vez de dar cumprimento ao mandado judicial em desfavor de Cláudio Moreira Julião Filho (33). Ele foi preso quando chegava ao trabalho, numa oficina localizada no bairro Luciano Cavalcante, na Área Integrada de Segurança 10 (AIS 10) de Fortaleza. A Polícia Civil mantém as diligências no intuito de capturar José Teixeira da Paz Neto (28), comparsa de “Gordinho” na trama, bem como da sexta pessoa que esteve junto com Diego e João Victor na casa do prefeito na hora do crime. O caso é considerado elucidado, uma vez que os autores do delito foram identificados, assim como a participação de cada um no crime, além do vasto conjunto comprobatório que foi recolhido durante as investigações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog