sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Embrapa lança livro sobre gestão da água para indústrias de processamento de pescado

A Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO) acaba de lançar o livro “Manual para gestão da água e de resíduos do processamento de peixes”, destinado a indústrias de processamento de pescado. A obra apresenta um roteiro de ações adaptáveis a indústrias de beneficiamento de peixes de diferentes portes, com foco em redução do uso de água e aproveitamento de resíduos agroindustriais, além do tratamento e reúso de efluentes – questões fundamentais para a gestão das indústrias. A publicação é gratuita, com download disponível aqui. As orientações contidas no manual estão alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), ratificados em 2015, durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável. Segundo a pesquisadora da Embrapa Pesca e Aquicultura Viviane Rodrigues Verdolin dos Santos, a ideia para a elaboração do livro surgiu a partir dos resultados obtidos em uma pesquisa coordenada pela Unidade, na qual houve redução de até 30% na utilização de água e geração de efluentes pelas indústrias de pescado. “A partir daí vimos que o modelo que desenvolvemos poderia ser aplicado em outras indústrias e resolvemos elaborar o manual com o passo a passo, orientando aqueles que buscam alternativas para a redução no uso de água, aproveitamento de resíduos e tratamento e reúso de efluentes”, afirma. A pesquisa ganha importância especial se considerarmos que as indústrias de alimentos são grandes consumidoras de água e geradoras de resíduos orgânicos. E entre os setores de processamento de carnes, a agroindústria de pescado é a que apresenta as maiores taxas de expansão global. Além disso, diversas regiões no planeta têm sofrido com a escassez de água e com a contaminação química e orgânica dos corpos hídricos, em razão do descarte incorreto de resíduos e efluentes gerados nas indústrias. “Vale ressaltar que o manual se destina às indústrias de beneficiamento de peixes de diferentes portes e que processam diferentes espécies, uma vez que as ações para a implementação da gestão hídrica e de resíduos podem ser facilmente adaptadas às diferentes realidades de cada indústria”, destaca a pesquisadora. Ela faz parte de um grupo multidisciplinar de 19 autores, de diferentes centros de pesquisa da Embrapa, universidades e outras instituições parceiras. O trabalho contou com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); Fundo Setorial de Recursos Hídricos (CTHidro), do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT); Fundo Amazônia (gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Além desses órgãos, a obra contou com a participação de equipes multidisciplinares de diversas instituições de pesquisa e extensão (Embrapa Suínos e Aves, Embrapa Agroindústria de Alimentos, Embrapa Agroindústria Tropical, Embrapa Agropecuária Oeste, Secretaria de Inovação e Negócios, Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro), instituições de ensino (Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal Fluminense, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Universidade Federal do Tocantins, Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Porto Nacional -TO, assim como de empresas do setor (Frigorífico Piracema Ltda – Almas -TO, Aliança do Tocantins Indústria Pesqueira Ltda – Aliança do Tocantins - TO, Geneseas Aquacultura Ltda. – Promissão -SP, Gomes da Costa Alimentos S.A. – Itajaí -SC, Frigorífico Jahú Ltda - Duque de Caxias – RJ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog