sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Novo vírus chapare é fatal, sem cura e provoca febre hemorrágica


De acordo com um artigo avançado pela BBC News, o primeiro surto teria ocorrido em 2019, na província de Caranavi, em La Paz. Dois pacientes com febre hemorrágica Chapare, doença provocada pelo vírus Chapare, infectaram três profissionais de saúde - um médico residente, um médico de ambulância e um gastroenterologista. Três dos indivíduos morreram, entre os quais dois médicos. A confirmação de que ocorreu a transmissão de pessoa para pessoa do Chapare na Bolívia foi divulgada esta semana no encontro anual da Sociedade Americana de Medicina Tropical e Higiene. O Chapare integra a família dos arenavírus, a mesma de outros vírus que causam variedades distintas de febre hemorrágica. Normalmente os arenavírus são transmitidos para os seres humanos através do contato direto com roedores infectados, por mordidas ou arranhões, ou ao entrar em contacto com a saliva, urina e fezes desses animais. Os cientistas creem que transmissão entre humanos se dê por meio de fluidos corporais como sangue, saliva, urina, sémen e secreções ou pelo contato com objetos contaminados com fluidos corporais. Inclusive durante a realização de determinadas intervenções médicas, como por exemplo a intubação. A descoberta resulta da colaboração entre investigadores do Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) - agência de pesquisa em saúde pública ligada ao Departamento de Saúde dos Estados Unidos -, do Centro Nacional de Doenças Tropicais da Bolívia e da Organização Pan-Americana de Saúde. "É muito provável (que a transmissão seja por meio de fluidos corporais), com base nas evidências que temos nesses casos e também em exemplos na literatura médica sobre outros arenavírus", afirmou a virologista Maria Morales-Betoulle, uma das cientistas do CDC que participou da pesquisa, em declarações à BBC News Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog