sábado, 1 de agosto de 2020

Operação em Maceió prende foragidos da Justiça por latrocínio contra taxista e roubo em empresa



A Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC), da Polícia Civil de Alagoas, por meio de agentes da Assessoria Técnica de Inteligência e Monitoramento, sob a coordenação do delegado Gustavo Henrique, deflagrou nesta quarta-feira (29) mais uma operação em Maceió com o objetivo de prender pessoas foragidas da Justiça.
Uma mulher de 25 anos de idade foi presa, no bairro do Benedito Bentes, em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido pela 4ª Vara Criminal da Capital pelo crime de latrocínio, fato ocorrido em 2014, no bairro de Mangabeiras.
De acordo com as investigações, a mulher em conjunto com dois homens e uma outra mulher, que inclusive se encontra presa, teriam pego um táxi no bairro da Ponta Grossa, e, ao chegar em Mangabeiras, o assalto foi anunciado, ocasião em que a vítima teria esboçado reação, diante do que um dos homens do grupo criminoso efetuou alguns disparos de arma de fogo. O taxista não resistiu e veio a óbito.O diretor da DEIC disse que, ao ser interrogada por ele, a presa trouxe à tona uma informação que pode provocar uma reviravolta no caso. “De acordo com ela, uma mulher que está presa desde maio de 2019, em virtude do referido crime, não teria participado do delito e, portanto, seria inocente”, frisou a autoridade policial.
Após a formalização do cumprimento do mandado de prisão e interrogatório, toda a documentação foi encaminhada ao juízo competente, para a adoção das providências legais cabíveis.
Ainda no decorrer da operação, foi preso no bairro da Santa Lúcia, um homem de 35 anos de idade, por conta de mandado de prisão expedido pela 3ª Vara Criminal da Capital decorrente de sentença definitiva pelo crime de Roubo, fato ocorrido no ano de 2010, no bairro do Trapiche da Barra.
De acordo com as investigações, o indivíduo preso, junto com dois comparsas, teria assaltado, com emprego de arma de fogo, uma empresa situada na Rua dr. Paulo Neto, no bairro do Trapiche, conseguindo subtrair a quantia de R$ 20.000.
“Quando da prisão, o indivíduo em epigrafe ainda estava de posse de um RG falsificado, o qual ele confessou ter adquirido por R$ 400 e passou a usar depois que soube que sua prisão tinha sido decretada. Ademais, em sua residência foram apreendidos mais de R$ 11.000, numerário este também apreendido para investigação, a fim de se comprovar a sua origem”, relatou o delegado Gustavo Henrique.
Depois da captura, o preso também foi encaminhado à sede da DEIC, no bairro da Santa Amélia, juntamente com o material apreendido, onde, além do cumprimento do mandado de prisão, foi autuado em flagrante delito pelo crime de uso de documento falso.
O delegado Gustavo Henrique parabenizou o excelente trabalho das equipes envolvidas na operação, bem como destacou a sua importância, pois, além de retirar de circulação dois foragidos da Justiça, levantou-se informação que pode servir para tirar da prisão uma pessoa inocente.
Ele ainda informou que os dois presos têm antecedentes criminais, ela por roubo e ele por roubo e porte ilegal de arma de fogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog