segunda-feira, 6 de abril de 2020

Polícia Civil investiga caso de revenda de veículos que encerrou suas atividades e orienta possíveis vítimas




Campo Grande (MS): A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Furtos e Roubos de Veículo (DEFURV), está investigando a ação de empresário da capital, o qual, em tese, teria se apropriado de veículos automotores que clientes deixaram em sua empresa para venda, ou não realizado os devidos pagamentos de automóveis negociados com terceiros de boa-fé.
Segundo consta, no dia 3 de abril, sexta-feira, o empresário deu início ao fechamento da revenda de automóveis e retirado os veículos do local, a fim de encerrar as atividades da empresa.
Inúmeros clientes, alguns que negociaram veículos com a empresa (venderam e não receberam o total ou parte dos valores), outros que deixaram carros consignados para venda e não receberam pelas transações, passaram a manifestarem-se em redes sociais acerca dos fatos, sendo que, poucos procuraram a Polícia Civil para registro durante o final de semana (três apenas).
No dia 5 de abril, domingo, Policiais da DEFURV contataram o empresário e o intimaram para esclarecimentos na manhã desta segunda-feira. O investigado prestou declarações, explicando que, de fato, encerrou suas atividades face à problemas financeiros devido à conjuntura econômica atual, sendo que teria chamado os proprietários veiculares daqueles carros que ainda estavam em sua garagem para a entrega. Segundo o investigado, dois proprietários veiculares não foram encontrados, sendo que os carros dessas pessoas encontram-se à disposição.
Na data de hoje (6), equipe da DEFURV acompanhou o empresário até a garagem, a fim de apreender documentos acerca das negociações das vendas que ainda não foram quitadas e serão objeto da investigação.
O investigado colocou-se à disposição para todos os esclarecimentos possíveis, bem como fornecimento da documentação pertinente ao caso.
A conduta do empresário poderá enquadrar-se, inicialmente, como incurso nos crimes de estelionato, ou apropriação indébita, sendo que todos os casos serão analisados para que sejam adotadas as providências pertinentes a cada caso, conforme as peculiaridades da situação.
Os envolvidos em tais situações poderão procurar a DEFURV para esclarecimentos e registro de ocorrência, conforme o caso.
Publicado por: Carlos Eduardo Orácio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog