quarta-feira, 29 de abril de 2020

Mário Kertész - 'Falta de humanidade', diz sobre reação de Bolsonaro às mortes por coronavírus



Foto : Matheus Simoni / Metropress
Por Metro1  - Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (29), Mário Kertész demonstrou profunda revolta com a reação do presidente Jair Bolsonaro ao aumento no número de mortes por coronavírus no Brasil. Ontem (28), o país ultrapassou a quantidade de óbitos registrada pela China, cuja população é seis vezes maior. Questionado sobre o assunto, Bolsonaro respondeu que "é Messias, mas não faz milagres".
"Que falta de respeito, de humanidade, de solidariedade, de compaixão com o povo que, equivocado, o levou à presidência da República sem nenhuma condição pra isso. O que ele falou ontem, quando chegou na gaiola que ele montou? 'E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Sou Messias, mas não faço milagres'. Não? Mas deveria fazer. (...) Que mundo é esse, que Brasil é esse? Tirou o ministro da Saúde [Luiz Henrique Mandetta, que deixou o cargo em 16 de abril], que estava lá todo dia dando informações com pessoas técnicas ao lado dele explicando, dizendo, mostrando (...) e colocou lá uma múmia paralítica [o ministro da Saúde, Nelson Teich]. Pouco fala, expressão facial quase nenhuma... Agora ele reconhece que a situação é grave. A curva de ascensão do Brasil está em pico. O número de mortes em São Paulo triplicou. Não tem cemitério dando conta, não tem coveiro. (...) As pessoas começaram a morrer como moscas!", exclamou.MK também comentou a possibilidade iminente de demissão da secretária especial de Cultura, Regina Duarte, que passa por um processo de "fritura" dentro do governo. "Eu não acredito. Em um dia ele endeusa, como foi com [o ex-ministro da Justiça] Sergio Moro e [o ministro da Economia] Paulo Guedes, lembrando que Guedes estava em baixa. (...) Agora a bola da vez é Regina Duarte. Quem diria, pra quê levou? E quem tá atacando Regina Duarte? O presidente da Fundação Palmares, o negro que é racista. Quer dizer, terra plana, globalismo, comunismo... Não teve racismo, a escravidão foi melhor para os negros. (...) Ele deve estar querendo, e vai ocupar o cargo de Regina Duarte. Eu não duvido de mais nada", analisou.
MK ainda se disse "de luto" diante da atual situação do país. "Eu tô me sentindo de luto pelo Brasil e pelo povo brasileiro. Não estou fazendo política, não serei candidato a nada mais na minha vida. Mas eu sou brasileiro, eu amo esse país e sobretudo a Bahia. (...) E confesso a vocês que hoje estou muito triste, vendo de um lado o crescimento da pandemia e do outro lado o desgoverno que temos nesse país", pontuou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog