terça-feira, 21 de abril de 2020

CBF quer testes em jogadores de 180 times para auxiliar em estudos de prevenção ao coronavírus no país


Envolvida em análise de um calendário a cada dia mais imprevisível, a CBF planeja auxiliar as autoridades de saúde nos estudos do coronavírus. Dentro do protocolo médico nacional, a entidade prevê os testes em jogadores - e familiares que morem na mesma residência - e estafe de 180 clubes pelo país, das séries A a D (20 nas três primeiras divisões e 68 na última) no masculino e mais 52 no feminino (16 equipes na A1 e mais 36 na A2). Os dados serão enviados ao Ministério da Saúde.
São dois objetivos com a realização dos testes. Um deles, claro, identificar no teste de anticorpos IgG e IgM - siglas para classificar nível de infecção ou imunização nos pacientes - a condição de cada atleta. O outro, fazer um estudo de prevalência setorial - o que quer dizer, formar base epidemiológica de um pequeno grupo determinado. Análise do perfil dentro de grupo de atletas, no caso.
A intenção é proteger este segmento sem comprometer outras pessoas - o que significa manter precauções de contato com o vírus. Bom lembrar que ainda há dúvidas sobre o comportamento do vírus - no que diz respeito à reinfecção de uma pessoa anteriormente infectada -, além de outras questões sobre a aquisição e custos de testes para coronavírus. O protocolo nomeia 17 laboratórios no país credenciados pela Anvisa para vender os kits.
Os médicos de cada clube devem enviar formulários - terão cada qual registro de login e senha para preencher diretamente em sistema interno da CBF - com todas informações possíveis sobre os jogadores - dados pessoais completos, além de descrição de sintomas, tipo de teste realizado, o resultado do teste e a evolução do paciente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog