terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Malu Duarte ganha destaque internacional no fisiculturismo



 LANCE!,LANCE!  - Após garantir o cartão de atleta profissional de fisiculturismo, no ano passado, em Medellín, na Colômbia, a brasileira Malu Duarte, 26 anos, 1,66m, já deu início à temporada 2020, nos Estados Unidos, e desponta como um dos principais nomes do país na categoria Bikini Pro.
O cobiçado cartão atleta foi conquistado com o título no Olympia Amateur South America 2019, que faz parte da Expofitness (Internacional Sports & Welness Business Expo), considerada a maior feira do segmento na América Latina. Ela concorreu com outras atletas do mundo inteiro e venceu.Malu fará suas próximas preparações ao lado da sua equipe de Simi Valley, nos EUA, como uma das principais atletas e uma grande promessa do Team Edge. O objetivo é voltar a participar do Mr. Olympia - considerado o principal evento do mundo fitness -, realizado todo ano em Las Vegas, agora como profissional.Em 2017, ela conseguiu a classificação para participar do tradicional torneio americano e surpreendeu, ao ficar entre as quatro primeiras colocadas. Agora, a atleta quer mais.Há pouco mais de cinco anos, Malu nem imaginava que um dia estaria num palco em Las Vegas competindo em grandes eventos do fisiculturismo. Entre 2011 e 2014, ela dividia os estudos com bicos como modelo e participações em festas da cidade e rodeios em Mogi Guaçu, no interior de São Paulo, onde foi criada.
Depois de se formar no ensino médio, continuou participando e concursos de beleza, festas e Carnaval, sempre dividindo o tempo entre a faculdade de farmácia, o trabalho como vendedora de roupas e a academia, onde mantinha a forma para seguir com o trabalho como modelo.Tudo mudou quando, em 2014, após ouvir de um atleta do bodybuilding na academia em que frequentava que levava jeito para a modalidade. Malu resolveu então participar, de última hora, sem muita expectativa, de um campeonato que aconteceria em São Paulo dali a pouco mais de um mês, um campeonato de estreantes, que bateu recorde. Foi tudo muito corrido, mas suficiente para que ela gostasse da experiência e iniciasse a transformação física e mental que o esporte exige.- Nesse um mês de preparação específica, com alimentação e treinos diferentes, eu senti muita diferença no meu corpo. Achei que competiria só aquela vez e pronto, mas depois fui em mais duas competições em 2014 e não saí mais. Não tem jeito. Peguei gosto. Foi amor à primeira vista - contou Malu. No final de 2017, ela foi convidada a fazer parte de um dos maiores times da sua categoria, o "Team Edge", e passou a receber além de todo o suporte de suplementação, orientação de treinos, dieta, postura, palco, e toda a parte psicológica, além de roupas de competição, como os biquínis específicos, com pedras e muito brilho, que não são baratos.Logo na primeira competição com o novo time, em abril de 2018, ela foi campeã do MuscleContest, em São Paulo. O objetivo, a curto prazo, é somar pontos para competir novamente no Olympia, em Las Vegas, este ano.- Quero também continuar servindo de inspiração para pessoas que simplesmente buscam uma vida saudável e também para aquelas que um dia sonham em ser atleta. Basta acreditar. Nunca deixe de sonhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog