segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Polícia Civil prende mãe e filha envolvidas em golpe de venda de motos



Uma operação da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), intitulada “Sonhos Frustrados”, resultou na prisão de uma empresária do ramo de motos e da filha dela, suspeitas de aplicarem golpes do consórcio de motos nas cidades de Ocara, Baturité e Redenção, municípios da Área Integrada de Segurança 15 (AIS 15) do Estado. A prisão das duas mulheres ocorreu, na manhã desta sexta-feira (20), na cidade de Baturité. Equipes da Delegacia Regional de Baturité, Ocara, Redenção, Aracoiaba e Barreira participaram da ação.
As mulheres Ana Cristina de Aquino (45), com antecedentes criminais por crime de trânsito, e Zaira Cristina de Aquino Souza (26), sem antecedentes criminais, foram presas por força de mandados de prisão preventiva em suas respectivas casas, nos bairros Conselheiro Estelita e Boa Vista, em Baturité. A Polícia também cumpriu mandados de busca e apreensão nas residências e lojas das investigadas, em Baturité e Ocara. Os policiais civis apreenderam três computadores, sete celulares e documentos nestes locais.
O titular da Delegacia Municipal de Ocara, André Firmino, relatou que as duas mulheres vendiam o consórcio de motos para vários clientes em seis cidades – Baturité, Ocara, Mulungu, Redenção, Morada Nova e Pacajus. As vítimas pagavam os boletos parcelados e, quando os quitavam, não recebiam as motos. Os golpes ocorrriam desde o ano de 2016 e já foram contabilizadas aproximadamente 110 vítimas. “Elas repassavam os boletos. Os clientes pagavam parcelas divididas em 48, 60 e até 72 vezes e no fim não recebiam as motos e nem cartas de crédito”, explica Firmino. A Polícia Civil já recebeu inúmeras denúncias de clientes que foram prejudicados pelas mulheres.
Mãe e filha foram autuadas pelo crime de estelionato na Delegacia Municipal de Ocara e encaminhadas para a Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), em Fortaleza e, em seguida, para um presídio feminino onde ficarão à disposição da Justiça. A Polícia Civil segue investigando o caso para identificar outras pessoas lesadas pelo golpe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog