sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Flávio Dino recebe garoto humilhado por vender geladinhos


O governador Flávio Dino recebeu nesta terça-feira (24), no Palácio dos Leões, o "menino de Grajaú" Adão Nunes de Sousa, 14 anos, que viralizou na internet ao ser gravado chorando ao ser constrangido por outros garotos por estar vendendo geladinho.
Num segundo vídeo, três policiais sensibilizados com situação arrecadaram dinheiro para comprar todos os geladinhos do menino. Estes policiais receberam placa de honra ao mérito das mãos do governador.
O adolescente é o quarto filho de uma família de sete irmãos e, diante das dificuldades, buscou meios de ajudar nas despesas de casa vendendo geladinho nas ruas de Grajaú, mesmo sofrendo bullying e sendo alvo de algumas piadas. Numa dessas ocasiões, Adão foi filmado chorando por um dos meninos que o humilhava.
Ao receber o menino, o governador Flávio Dino ressaltou que o caso serve como reflexão sobre a importância da empatia, solidariedade e da disseminação de uma cultura de paz. “Acompanhei a repercussão, como os milhares de brasileiros, e valorizei muito tudo aquilo que estava contido como mensagem, não só para os que participaram desse episódico, mas para milhões de maranhenses. A mensagem do esforço do Adão, de procurar superar as dificuldades e enfrentar obstáculos, a mensagem de ajudar uns aos outros e, infelizmente ainda mais importante nesse momento, a mensagem de estímulo para que as pessoas se respeitem mais”, defendeu Flávio Dino, reiterando que o enfrentamento à pobreza e o trabalho infantil é uma política prioritária do Maranhão atual, que busca superar o quadro histórico.
No encontro, Adão foi presenteado pelo governador Flávio Dino como um computador, para se dedicar aos estudos. A ação solidária e espontânea dos policiais militares, os soldados Celio Henrique Lima Alves, Wesleyson Alves de Oliveira e Roberto Henrique da Silva Lima, também gerou grande repercussão na redes sociais e tem, segundo o governador Flávio Dino, grande influência na ação policial como um todo, tendo como paramento a humanização e amparo a todas as pessoas, indistintamente.
“Valorizo muito a função de servir do servidor público, mas valorizo ainda mais quem ultrapassa o mero cumprimento dos deveres previstos. Naturalmente esses policiais não eram obrigados a fazer o que fizeram, considerando apenas a condição de policial, mas como cidadãos nós todos somos obrigados a ajudar os outros", disse o governador.
O policial Roberto Henrique afirmou estar honrado por ter feito a diferença, ainda mais no momento delicado, de acordo com ele, em que se debate a segurança pública no país. “Nunca imaginávamos que tomaria toda essa proporção. Para nós é uma honra, estamos felizes de servir de de incentivo não só para policiais do Maranhão, mas do Brasil. É uma satisfação poder levar o nome da instituição Polícia Militar maranhense de forma tão positiva no momento em que estão acontecendo tantas coisas negativas no país”, agradeceu o policial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog