segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Cultivo do trigo beneficia sistemas de produção agrícola do Brasil Central

A valorização do trigo na última safra e as vantagens oferecidas pela cultura nos sistemas de produção no Cerrado da região central do País têm despertado o interesse de produtores da região, sobretudo os que rotacionam culturas sob irrigação. Com o aperfeiçoamento do manejo, produtores têm conseguido explorar o potencial de cultivares como as desenvolvidas pela Embrapa, obtendo produtividades médias superiores a 100 sc/ha. Esse foi o cenário de fundo do Dia de Campo Trigo Irrigado, realizado no dia 18 de setembro pela Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (COOPA-DF) e pela Embrapa na propriedade de Jolmir Cenci, no PAD-DF, Distrito Federal. O evento reuniu 250 pessoas, entre produtores da região e técnicos.Responsável técnico da COOPA-DF, Claudio Malinski disse que a cooperativa precisa incentivar o cultivo do trigo na região não apenas para obter matéria-prima de qualidade para o moinho, mas também para que o produtor rural tenha os benefícios que a cultura traz indiretamente às demais culturas que a sucedem. “Devemos produzir cerca de 400 mil sacos (de farinha) e estamos pagando R$ 982 pela tonelada do BRS 254 e R$ 910 pela tonelada do BRS 264”, destacou. Cerca de 40 cooperados, representando uma área plantada próxima de 8 mil ha, fornecem trigo à COOPA-DF. A produção esperada nesta safra para o trigo irrigado deve ficar em torno de 750 mil sc, com produtividade média de 93,75 sc/ha. 
A cultivar BRS 254 é o carro-chefe em trigo da cooperativa. “Estamos favorecendo a cultivar por ser o trigo mais interessante para o moinho. Qualquer outro produzido no Brasil, ao ser misturado com o BRS 254, vai produzir uma farinha de qualidade para a indústria. Os demais materiais são bons, mas é preciso mais cuidados na escolha para fazer o blend por haver alguns fatores limitantes”, explicou Malinski. Ele lembrou que a BRS 254 também requer atenção quanto ao risco de acamamento (queda ou arqueamento das plantas). “Mas ele tem uma vantagem. O ciclo é mais longo e, se pegar frio, é possível aumentar a produção para 8 ton/ha (ou 133 sc/ha)”.
Para atualizar e tirar dúvidas dos participantes do Dia de Campo, os pesquisadores da Embrapa apresentaram informações sobre as cultivares desenvolvidas pela pesquisa da Empresa adaptadas ao Cerrado do Brasil Central e disponibilizadas ao mercado. Também abordaram o manejo da cultura do trigo e das doenças que acometem as lavouras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog