sábado, 11 de agosto de 2018

Teste da Orelhinha um importante aliado no diagnóstico precoce de alterações auditivas nos recém-nascidos

Assim como o conhecido Teste do Pezinho, que pode detectar doenças nos recém-nascidos e proporcionar tratamento adequado com antecedência, a Triagem Auditiva Neonatal, também é obrigatória e essencial para a saúde da criança. No Brasil o teste é obrigatório e gratuito nos hospitais e maternidades públicos desde agosto de 2010.
O Fonoaudiólogo e Coordenador do Centro Especializado de Saúde Auditiva de Itabuna (CESAI) Phillipe Moura explica que a Triagem Auditiva Neonatal é capaz de detectar alterações no sistema auditivo do recém-nascido, caso sejam identificadas, o bebê deverá ser encaminhado para um serviço especializado a fim da realização de exames complementares. O exame é feito em bebês com idade de 0 a 1 mês. “Antes da existência do teste os pais só procuravam orientação médica quando percebiam que a criança tinha dificuldade em desenvolver a fala. Hoje conseguimos detectar um possível problema ainda nos primeiros dias de vida. O teste é realizado por meio do exame de Emissões Otoacústicas Evocadas, no qual produz estímulos sonoros leves que são levados até o ouvido interno e mede o retorno desses estímulos . O processo dura entre cinco a dez minutos, não há contraindicação e não causa desconforto ao bebê”, explicou Philipe.
No Hospital Manoel Novaes, o Teste da Orelhinha é realizado há 8 anos e acontece através de uma parceria entre o hospital e a equipe de Fonoaudiologia do Centro Especializado De Saúde Auditiva de Itabuna- CESAI.
Estatísticas
Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que a surdez bilateral (nos dois ouvidos) atinge, em média, um a cada mil recém-nascidos, sendo que em 75% dos casos as razões são genéticas e, em 25%, devido a circunstâncias da gravidez ou do período perinatal (até 7 dias após o nascimento).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog