quinta-feira, 19 de julho de 2018

Evento celebra os 100 anos do mestre Antonio Candido

Antonio Candido foi professor da USP durante 50 anos – Foto: Francisco Emolo / USP Imagens

“Está chegando o tempo que os velhos falavam, que tudo vai demudar, a terra perder a força, o povo da roça mudar para a cidade. Era assim que falava o pai do meu avô.”
Os casos em que o diabo é benfazejo são narrados pelo velho Nhô Roque no clássico Os Parceiros do Rio Bonito, de Antonio Candido de Mello e Souza. Um livro que teve, como origem, segundo o próprio autor, o desejo de analisar as relações entre a literatura e a sociedade, nascendo de sua incessante pesquisa sobre a poesia popular.
O mestre, que no próximo dia 24 julho completaria 100 anos de nascimento, será reverenciado em um ciclo de palestras nesta semana no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, em São Paulo. O evento Afeto e Convicção – Uma Homenagem a Antonio Candido de Mello e Souza (1918-2017) vai lembrar a trajetória do escritor, sociólogo, crítico literário e professor da USP por 50 anos, de 1942 até 1992.

No decorrer de três dias – desta quarta-feira, dia 18, até sexta-feira, dia 20 –, as palestras serão apresentadas em oito mesas, compondo o retrato de Antonio Cândido através da participação de familiares, amigos, pesquisadores, escritores e professores. O seminário integra o projeto “3 vezes 22”, uma iniciativa realizada graças a uma parceria entre o Instituto de Estudos Brasileiros (IEB), a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) e a Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP.

A historiadora Emily de Souza, pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, explica que o ciclo de palestras vai apresentar o legado inquestionável do mestre. “Antonio Candido deixou uma obra volumosa e profícua. Desenvolveu um método de análise que relaciona literatura e sociedade que se mantém atual”, diz ela (ouça no link acima entrevista da historiadora Emily de Souza concedida à Rádio USP).

Emily afirma que o seminário destaca também a contribuição do professor no campo do pensamento social brasileiro. “Mas, para além da obra, permanece a memória da figura humana. Um mestre devotado à ampla partilha do conhecimento e da própria experiência de vida. Sempre generoso, íntegro, humanista. Uma norma de comportamento de alguém comprometido com a formação do ser humano. Daí o título do evento:Afeto e Convicção.”

A programação será aberta às 14 horas desta quarta-feira, dia 18, com uma homenagem musical. O cantor e violeiro Passoca interpreta canções caipiras que trazem a paisagem da obra Os Parceiros do Rio Bonito. Em seguida, a filha do crítico, professora Laura de Mello e Souza, fala sobre Antonio Cândido no ambiente familiar.

As palestras terão a participação de Carlos Augusto Calil, Augusto Massi, Walnice Nogueira Galvão, Telê Ancona Lopez, Adélia Bezerra de Menezes, João Cezar de Castro Rocha, Marcos Antonio de Moraes, Leandro Garcia, Max Gimenes e Ismail Xavier, entre outros. As inscrições são gratuitas, com direito a certificado de participação solicitado ao Centro de Pesquisa e Formação do Sesc (telefone 11 3254-5600).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog